O professor de português, recém-chegado naquela cidadezinha, resolve fazer um terno. Ao passar por uma alfaiataria, ele lê o letreiro: "Arfaiataria Aguia di Oro".
Ao entrar, ele cumprimenta o proprietário e, tentando ser gentil, tece um elogio:
- Parabéns! Gostei do nome que você colocou na sua loja. Águia de Ouro! É um nome imponente!
O caipira olha para ele com ar desconfiado e responde:
- Discurpi seu dotô! Pode ser imponente, mas o sinhô falô errado. Não é "Águia di oro" é "Agúia di oro"!