Manoel veio para o Brasil, tentar a vida. Como única referência, tinha o endereço de um amigo que anteriormente conhecera aqui, o José. Ao descer do navio, debaixo de um pé-d’água fenomenal, o papel com o endereço de seu amigo borrou. Desesperado e com apenas alguns trocados, Manoel resolve escrever um telegrama ao Joaquim, em Portugal, pedindo ajuda:
- Joaquim, sabes o endereço de José?
No dia seguinte chegou a resposta:
- Sei...

Ela: - Querido, a torneira está pingando...
Ele: - Estou sem tempo de consertar, e eu não sou bombeiro!
Dia seguinte...
Ela: - Você está se lembrando da torneira?
Ele: - Hoje à noite não; e, além disso, eu não sou bombeiro!
Mais um dia...
Ele: - Ué, a torneira não está mais pingando?
Ela: - Não, o vizinho veio consertar.
Ele: - Ah... E ele pediu o que pelo serviço?
Ela: - Que eu fizesse um bolo ou uns pãezinhos para ele.
Ele: - E você fez o que?
Ela: - Uma chupada!
Ele: - Sua puta! Você por acaso não podia só ter feito esses pãezinhos?
Ela: - Ah, eu não sou padeira!!!!